Primeiros projetos da Moeda Semente aguardam liberação de recursos
30 de maio de 2018

A Moeda Semente aprovou os primeiros projetos vinculadas os empreendimentos Solidários filiadas a Unicafes Nacional. Dos 17 inscritos, 15 estão aptos e aguardam a liberação dos recursos para que sejam implementados em empreendimentos produtivos de mulheres das regiões nordeste, sul e centro oeste. Segundo a diretora da Secretaria Nacional de Mulheres da UNICAFES, Iara Andrade, os outros dois estão na conclusão do Plano de Negócios. A expectativa é que assim que os projetos sejam liberados, o Programa da Moeda Semente possa ser ampliada para outras regiões do país.

 

Sobre a Moeda Social

A Moeda Semente foi lançada em evento na ONU em de 6 de março de 2017, para alcance dos 17 Objetivos do Desenvolvimento até 2030. A implantação no Brasil já começou e se espera atingir em um ano 100.000 mulheres, associadas de cooperativas, iniciando pelos estados do Paraná, Goiás, Bahia, Minas Gerais e Rondônia e por núcleos organizados de mulheres cooperativadas em outros estados do Brasil e no Distrito Federal, contando com participação do Governo Federal, dos governos estaduais e municipais e de suas agências de fomento socioeconômico.

A Moeda Semente, é uma moeda criptografada, realizada com tecnologia blockchain, a qual vem acompanhada pela oferta de microcrédito para projetos socioprodutivos e coletivos de mulheres, visando seu empoderamento.

A Moeda Social virá como um instrumento de alcance da cidadania financeira, e como tal facilitará o acesso aos serviços financeiros das pessoas e instituições, inclusive das que perderam ou nunca tiveram conta bancária ou estão situadas em locais onde não há agências bancárias. Estima-se que mais de 80 milhões de pessoas no Brasil estão fora do sistema bancário e, portanto prejudicados em seus acessos aos produtos financeiros. No mundo mais de 2/3 da população encontram-se nesta situação.

Parceria com a Unicafes

A Unicafes — União das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária, com atuação em 19 unidades da Federação e que congrega mais de 700 cooperativas solidárias relacionou mais de 60.000 mulheres com aptidão para a utilização da Moeda. A Confesol, que reúne 170 cooperativas de crédito solidário e que pertence ao Sistema Unicafes têm mais de 450.000 associados. Cooperativas de Goiás e de outros estados já listaram mais de 8.000 mulheres potenciais usuárias da Moeda.

A Moeda pretende investir em dois anos, no Brasil, cerca de US$100 milhões com recursos captados em diversos países do mundo e também no Brasil a partir de uma forma inovadora de captação de recursos a partir do dia 28 de Maio por meio de “crowdsale” ou ICO — Contribuição Inicial de Moeda (Initial Contribution Offering), para investidores brasileiros internacionais.

 

Linhas de crédito

A Moeda vem complementar linhas de crédito oficiais e das cooperativas de crédito, disponibilizando recursos financeiros em condições e taxas de juros semelhantes, mas com maior alcance de beneficiários, com maior responsabilidade, qualidade e velocidade de atendimento e com acompanhamento pleno, técnico e financeiro, das aplicações. Seu objetivo é agregar valor, produzindo resultados desejados e gerando efeitos e impactos positivos em todos os pontos da cadeia de usuários da Moeda.

Uma das principais diferenças incorporadas à Moeda está no fato de quem estabelece limites de operação são os usuários (grupos de interesse dentro das cooperativas) por meio de projetos, que deverão ser acompanhados tecnicamente, e cuja implantação atenderá a segmentos de mercado já constituídos e, preferencialmente, garantindo a compra dos produtos por meio de contratos governamentais como os do PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar e do PAA (Programa de Aquisição de Alimentos)

Deve-se mencionar que a Moeda por ter tecnologia blockchain tem em seu DNA, além de possibilitar transações anônimas, seguras e invioláveis, com total transparência, permite o controle, pelos investidores, on line dos recursos disponibilizados.

A entrega dos bens em termos de tempo e de acordo ou em conformidade com a qualidade e quantidade (Integridade) contará pontos na reputação do grupo, tornando-os cada vez mais propício a receber outros financiamentos. A integridade pressupõe honestidade, responsabilidade e transparência, sendo o principal pilar de sustentação da confiança.

A transparência é a chave para construir a confiança, a resiliência ea confiabilidade para ter sucesso. São os usuários que “certificarão” seus pares e não terceiros. Pela tecnologia blockchain, não há como fazer estorno de transações acordadas e realizadas pelos pares, sendo todas elas autenticadas, criptografadas, descriptografadas e auditadas em tempo real, sendo antes antecedidas pelo reconhecimento visual, de voz e outros sistemas autenticadores relações, mais eficazes que as atuais informações cadastrais. O Cooperativismo 2.0 Mundial será impulsionado com a Moeda.

Fonte: Moeda Semente e Unicafes
 
Assine nosso informativo e fique por dentro das nossas novidades
ATENDIMENTO
(61) 3226-3277
secretaria@unicafes.org.br
2018 - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por Grupo Mar Virtual